A luz está apagada!

Fundos

XPCM11

face Usuário
Informações Gerais Análise do Administrador Patrimônio do FII Cotações e Mercado Rendimentos Relatórios e Comunicados Comentários Comparativo

Informações Gerais

XPCM11 Escritórios

XP Corporate Macaé

DESCRIÇÃO GERAL DO FUNDO

O XP Corporate Macaé FII tem como objetivo auferir ganhos pela aquisição, para exploração comercial, do edifício 'The Corporate' situado no município de Macaé/RJ.
Escritóriospossui gestão PassivaInvestidores em Geral

PATRIMÔNIO LÍQUIDO
R$ 201,3Mi
VALOR DE MERCADO
R$ 136,3Mi
P/VP
0,68
POSIÇÃO NO IFIX
44º de 92
PARTICIPAÇÃO NO IFIX
0,6%
DATA DE INÍCIO
11/Mar/2013
PRAZO
Indeterminado
QT DE COTISTAS
12.469
QT DE COTAS
2.414.570
Destaques
Desocupação de Imóvel
11/Jul/2019 Exibir Documento A locatária PETROBRAS formalizou que desocupará o Imóvel "The Corporate Macaé" em Dez/2020.
A empresa é a única locatária do único imóvel do Fundo.
A multa rescisória totalizará R$8,91 por Cota.
Outras Informações
ÁREA BRUTA LOCÁVEL 18.641 M² VACÂNCIA 0,0 % INADIMPLÊNCIA 0,0 % QUANTIDADE DE IMÓVEIS POR UF RJ1 QT DE COTISTAS 12.469 QT DE COTAS 2.414.570 PÚBLICO ALVO Investidores em Geral ADMINISTRAÇÃO DO FUNDO
Administrador Rio Bravo Investimentos Distribuidora De Titulos E Valores Mobiliarios Ltda
Gestor Xp Gestão De Recursos Ltda.
Auditor Ernst & Young Auditores Independentes S.s.
Análise do Administrador
TAXAS DE ADMINISTRAÇÃO E PERFORMANCE
Taxa de Administração R$ 1,5 milhões/ano
Taxa de Performance R$ 0,00
Percentual sobre o PL do FII 0,72% a.a.
Custo Anual por Cota R$ 0,60
Estes foram os valores efetivamente recebidos pelo Administrador nos 4 últimos trimestres
CLASSIFICAÇÃO ANBIMA
mandato Renda
segmento Lajes Corporativas
gestão Passiva

Análise do Administrador

A análise abaixo foi elaborada pelo Administrador do Fundo e publicada no último Informe Anual
RESULTADO DO FUNDO NO ÚLTIMO EXERCÍCIO

O Fundo gerou R$ 27,3 milhões de receita com locação de imóvel (R$ 26,8 milhões em 2017), locado 100% para a Petrobrás.

CONJUNTURA ECONÔMICA DO SEGMENTO DE ATUAÇÃO

O ano de 2018 foi marcado por uma recuperação mais gradual do que o esperado no início do ano.

A crise dos caminhoneiros e a incerteza eleitoral ajudaram a manter as condições financeiras restritivas, embora os fundamentos macroeconômicos tenham continuado a se consolidar.

A inflação terminou o ano em níveis historicamente baixos, terminando o ano em 3.74% a.a., ligeiramente abaixo da meta de 4.5%. A SELIC terminou o ano em 6.5% a.a., seu nível mais baixo desde o Plano Real, em 1994. O atual patamar da SELIC beneficia os Fundos Imobiliários, uma vez que investimentos em renda fixa se tornam menos atrativos, influenciando os investidores a migrarem seus investimentos para ativos de risco.Em relação ao Mercado Imobiliário, o ano de 2018 marcou o início da recuperação do setor, principalmente, nas regiões mais centrais do país.

Por exemplo, nas regiões centrais do mercado de escritórios corporativos de São Paulo – ou seja, Faria Lima, Vila Olímpia e Paulista –, a taxa de vacância já é de apenas um digito, conforme dados da consultoria Buildings.

Aliado à falta de terrenos disponíveis para construção nessas regiões, a relação oferta e demanda do setor é positiva para os proprietários.

Já quanto ao segmento de imóveis industriais e de logística em São Paulo, a taxa de vacância diminuiu em 2018, mas ainda se mantém em patamares superiores a 20%. Entretanto, ao olhar somente os imóveis até 30 km da capital, a taxa cai, ficando abaixo de 20%. A provável recuperação do poder de consumo da cidade e as mudanças que estamos observando no setor varejista, no qual novos players estão entrando no mercado brasileiro e o prazo para entrega dos produtos é cada vez menor, estimulam a instalação dessas empresas próximas à capital.Para os Fundos Imobiliários (FIIs), o ano foi de consolidação, de forma que tivemos o recorde histórico nos termos de liquidez, tamanho do mercado e número de investidores.

Em termos de rentabilidade, uma melhor análise é feita quando separamos o ano em três períodos.

O primeiro quadrimestre relevante para o segmento, comprovado pelo montante significativo de registros de novas ofertas, novos fundos no mercado e alta rentabilidade acumulada do IFIX, de 5,0% no período, equivalente a 15,6% ao ano.

Em maio de 2018, a greve dos caminhoneiros acabou expondo um país ainda muito fragilizado politicamente.

Devido a essas incertezas políticas, em apenas um mês, os Fundos caíram 5,3%, devolvendo toda rentabilidade acumulada no ano.

Porém, os fundamentos do mercado imobiliário não pareciam corroborar com essa queda tão abrupta.

Não à toa, logo após as eleições, com uma perspectiva positiva para a economia, os FIIs se recuperaram, atingindo rentabilidade de 5,6% em 2018.

PERSPECTIVA PARA O PERÍODO SEGUINTE

Para o ano de 2019 espera-se uma melhora econômica para o país, baseado, principalmente, na aprovação das reformas estruturais, principalmente a reforma da previdência.

Dessa forma, há indícios de que a atuação da política monetária continuará em terreno estimulativo, com a manutenção ou até mesmo queda da SELIC.Esse cenário é extremamente positivo para o mercado imobiliário, pois traz uma demanda que estava reprimida no país e assim, pode diminuir a taxa de vacância e gerar ao mesmo tempo valorização real nos aluguéis.

Portanto, de forma geral, os FIIs iniciam o ano de 2019 em um momento de recuperação, justificado, de um lado, pela intensificação da retomada do mercado imobiliário, principalmente nas regiões mais centrais, e, de outro, pela estabilidade política e econômica do país, espera-se que a consolidação do setor se mantenha crescente.

Patrimônio do FII XPCM11

ATIVO E PASSIVO
tipovalor
AtivoR$ 214,1 milhões
PassivoR$ 12,8 milhões
patrimônio LíquidoR$ 201,3 milhões
total mantido para liquidezR$ 5,2 milhões
PATRIMÔNIO INVESTIDO
subtipovalor
imóveis para aluguelR$ 206,4 milhões
outros fundosR$ 5,2 milhões
Imóveis Para Aluguel
nome do imóvelufmapaablunidadesvacância1inadimplência2pesoreceita mensal
Ed. The Corporate MacaéRJ18.641 m²10,00%0,0,0,0,00,00%0,0,0,0,098,96%R$ 2,5Mi

Cotações e Mercado

$

Cotação Atual

Valor Data Variação 1 ano
R$ 56,46 16/Ago -37,18%
MENOR COT 12 MESES R$ 52,59 (15/Jul/2019)
MAIOR COT 12 MESES R$ 102,50 (28/Jun/2019)
0,68 P/VP 467 Negócios/dia R$ 626,2mil Volume/dia
R$ 0,00 Amort. 1 ano -26,11% Rentab. 1 ano

Rendimentos

Último Rendimento

Valor DY Data Base Data Pgmto
R$ 0,85 1,51% 31/Jul 14/Ago
R$ 9,93 Rend. Acum. 12 meses 17,71% DY 12 meses
R$ 0,83 Rend. médio 12 meses 1,48% DY Médio

Últimos Comunicados de XPCM11

Informe Trimestral
13/Ago/2019
Informe Mensal
13/Ago/2019
Relatorio Gerencial
13/Ago/2019
Fato Relevante
11/Jul/2019
Informe Anual
29/Mar/2019
Data Comunicado Exibir
13/Ago/2019 Informe Trimestral
13/Ago/2019 Informe Mensal
13/Ago/2019 Relatorio Gerencial
31/Jul/2019 Aviso aos Cotistas
15/Jul/2019 Rentabilidade
11/Jul/2019 Fato Relevante
06/Jun/2019 Comunicado nao Fato Relevante
06/Mai/2019 AGO - Ata da Assembleia
30/Abr/2019 AGO - Resumo das Deliberacoes
10/Abr/2019 AGE - Carta Consulta
05/Abr/2019 AGE - Proposta da Administradora
29/Mar/2019 AGO - Proposta da Administradora
29/Mar/2019 AGO - Edital de Convocacao
29/Mar/2019 Demonstracoes Financeiras
29/Mar/2019 Informe Anual

Comentários sobre XPCM11