A luz está apagada!

Fundos

DOMC11

face Usuário
Informações Gerais Análise do Administrador Patrimônio do FII Cotações e Mercado Rendimentos Comunicados Comentários Comparativo

Informações Gerais

DOMC11 Escritórios

Reag Renda Imobiliária

DESCRIÇÃO GERAL DO FUNDO

Escritóriospossui gestão AtivaInvestidores em Geral

PATRIMÔNIO LÍQUIDO
R$ 243,4Mi
VALOR DE MERCADO
R$ 117,2Mi
P/VP
0,48
POSIÇÃO NO IFIX
Não Participa do IFIX
PARTICIPAÇÃO NO IFIX
DATA DE INÍCIO
31/Jul/2013
PRAZO
Indeterminado
QT DE COTISTAS
1.161
QT DE COTAS
244.380
ÁREA BRUTA LOCÁVEL 35.118 M² VACÂNCIA 21,3 % INADIMPLÊNCIA 0,0 % QUANTIDADE DE IMÓVEIS POR UF SP1 QT DE COTISTAS 1.161 QT DE COTAS 244.380 PÚBLICO ALVO Investidores em Geral ADMINISTRAÇÃO DO FUNDO
Administrador Monetar Distribuidora De Títulos E Valores Mobiliários Ltda
Gestor Reag Investimentos Ltda
Auditor Pricewaterhousecoopers Auditores Independentes
Análise do Administrador
TAXAS DE ADMINISTRAÇÃO E PERFORMANCE
Taxa de Administração R$ 2,3 milhões/ano
Taxa de Performance R$ 0,00
Percentual sobre o PL do FII 0,95% a.a.
Custo Anual por Cota R$ 9,45
Estes foram os valores efetivamente recebidos pelo Administrador nos 4 últimos trimestres
CLASSIFICAÇÃO ANBIMA
mandato Renda
segmento Lajes Corporativas
gestão Ativa

Análise do Administrador

A análise abaixo foi elaborada pelo Administrador do Fundo e publicada no último Informe Anual
RESULTADO DO FUNDO NO ÚLTIMO EXERCÍCIO

No ano de 2018, o FII reduziu o índice de vacância do imóvel de 76,57% para 21,34%, bem como aumentando a receita mensal de locação em R$ 693.595,54, passando a receita mensal de locação auferida pelo Fundo de R$ 349.279,23 para R$ 1.042.874,77 (após vencido os periodos de carência concedidos).

CONJUNTURA ECONÔMICA DO SEGMENTO DE ATUAÇÃO

Greve dos caminhoneiros, guerra comercial entre EUA e China, eleições no Brasil, taxa de desemprego em alta.

O noticiário de 2018 foi movimentado e a instabilidade política influenciou - e muito - nos negócios no segmento imobiliário.

Contudo, apesar da morosidade na atividade econômica doméstica em 2018, observa-se que o setor imobiliário corporativo na região metropolitana de São Paulo reagiu positivamente, com redução na sua taxa de vacância.

No que diz respeito à taxa de vacância do mercado de escritórios de Classes A+ e A de São Paulo, maior mercado brasileiro deste tipo de imóvel, constata-se que, nas 11 regiões CBDs (Central Business District), a taxa de área vaga vem se mantendo acima de 20% nos últimos três anos, de acordo com a consultoria imobiliária SiiLA Brasil.

Dados da Cushman e Wakefield apontam que em 2018 a taxa de vacância para imóveis corporativos caiu para 21,4% (após atingir 29,5% em 2016). Considerando contratos assinados sem mudança, a taxa já cai para 18%. Segundo levantamento da Buildings Pesquisa Imobiliária, em 2018 os aluguéis de imóveis corporativos de classe A registraram absorção líquida de 285 mil m². A região da Vila Olímpia, por exemplo, em 2017 apresentava 10,88% de vacância e o preço pedido chegou a R$ 88,90 o m². Já no término de 2018, com a vacância estava em 4,01% e o preço pedido ficou em R$ 96,71 por m². O mesmo acontece na região da Faria Lima e Itaim, que em 2017 registrou 22% de vacância e preço pedido de R$ 124 por m², mas que no final de 2018 apresentou 9,68% de vacância e média de preço pedido a R$ 134,36 o m². Em outras palavras, regiões como Faria Lima, Paulista e Vila Olímpia já estão com vacâncias abaixo da casa de 10% para edifícios classe A e já é possível perceber aumento de preços nessas regiões.

PERSPECTIVA PARA O PERÍODO SEGUINTE

Após anos de crise, o mercado imobiliário volta a ficar otimista e já começa a pensar em uma melhora dos preços - uma boa notícia para os investidores de fundos imobiliários.

Apesar das perspectivas de crescimento lento e gradual da economia doméstica para 2019, as expectativas do segmento imobiliário são que ocorram valorização do metro quadrado para quem investe em áreas estruturadas.

Segundo análise da Realibras/Conspar, a tendência de crescimento no setor já se mostra certa, conforme constatado nos números de 2018. Somando-se a isso o fato de que ocorreu uma redução na oferta por empreendimentos, em função da recessão, o que deve ser observado nos próximos ano é que o preço do metro quadrado deve subir e o setor viverá uma recuperação.

Segundo levantamento da Buildings Pesquisa Imobiliária, os aluguéis de imóveis corporativos de classe A devem estabilizar, com tendência de subida de preço pedido e pouca oferta em regiões primárias do mercado imobiliário capital paulista.

De acordo com a consultoria, a vacância do segmento classe A da cidade como um todo ainda demorará perto de dois anos para chegar a um equilíbrio.

Como alternativa à situação mais competitiva nas regiões primárias, a tendência do setor construtivo é de que o mercado cresça para as outras regiões de São Paulo, como ABC, Chucri Zaidan, Chácara Santo Antônio e Marginal Pinheiros.

Os empreendedores também já perceberam que, com os registros de atividade construtiva baixa e as atuais projeções de entrega, aliados ao aceno de melhora da economia, o mercado pode ficar mais favorável para a retomada da construção.

Com essa percepção, muitos projetos que estavam parados já retornaram às obras, e novos projetos também estão em desenvolvimento.

Baseado no cenário base macroeconômico para 2019, esperamos observar melhoras em praticamente todos os principais segmentos do mercado de FII.

Patrimônio do FII DOMC11

ATIVO E PASSIVO
tipovalor
AtivoR$ 243,7 milhões
PassivoR$ 228,2 mil
patrimônio LíquidoR$ 243,4 milhões
total mantido para liquidezR$ 443,1 mil
PATRIMÔNIO INVESTIDO
subtipovalor
imóveis para aluguelR$ 188,5 milhões
Fundos ImobiliáriosR$ 33,8 milhões
Imóveis Para Aluguel
nome do imóvelufmapaablunidadesvacância1inadimplência2pesoaluguel/m2receita mensal
Edifício Domo CorporateSP35.118 m²11421,34%62,60,23,23,210,00%0,0,0,0,0100,00%R$ 15,0R$ 426,4mil
Fundos Imobiliários
FIIcnpjtipoquantidadevalor
FISD11 - São Domingos16.543.270/0001-89Recebíveis Imobiliários146.590R$ 33,8Mi

Cotações e Mercado

$

Cotação Atual

Valor Data Variação 1 ano
R$ 479,50 24/Jun 10,23%
MENOR COT 12 MESES R$ 402,06 (06/Ago/2018)
MAIOR COT 12 MESES R$ 623,85 (27/Nov/2018)
0,48 P/VP 10 Negócios/dia R$ 104,5mil Volume/dia
R$ 0,00 Amort. 1 ano 10,23% Rentab. 1 ano

Rendimentos

Último Rendimento

Valor DY Data Base Data Pgmto
R$ 0,00 0,00% 15/Mai 15/Mai
R$ 0,00 Rend. Acum. 12 meses 0,00% DY 12 meses
R$ 0,00 Rend. médio 12 meses 0,00% DY Médio

Últimos Comunicados de DOMC11

Informe Trimestral
15/Mai/2019
Informe Mensal
24/Jun/2019
Informe Anual
11/Abr/2019
Fato Relevante
29/Abr/2019
Comunicado Data Exibir
Regulamento 10/Abr/2019
Informe Trimestral 15/Mai/2019
Informe Mensal 24/Jun/2019
Informe Anual 11/Abr/2019
Fato Relevante 29/Abr/2019
Esclarecimentos de consulta B3 / CVM 29/Abr/2019
Distribuicao de Cotas 27/Nov/2018
Demonstracoes Financeiras 19/Jun/2019
Comunicado nao Fato Relevante 27/Nov/2018
Aviso aos Cotistas 04/Jun/2019
AGE - Resumo das Deliberacoes 25/Mar/2019
AGE - Proposta da Administradora 12/Mar/2019
AGE - Edital de Convocacao 12/Mar/2019
AGE - Ata da Assembleia 10/Abr/2019

Comentários sobre DOMC11